Um Sítio no Rio

Um Sítio no Rio | Apontamentos de Etnologia e Antropologia

EXPOSIÇÃO DO PROJECTO
Este projecto materializa-se  no suporte web, através de um site, dando assim lugar à criação de uma aplicação interactiva e virtual do espaço do Rio Almansor. Possibilita a realização de visitas virtuais ao espaço do Rio, apresentação de aspectos da Biologia, da Botânica, da Geologia e da Ecologia em geral. A concepção deste projecto representa igualmente a criação de um espaço crítico e ao mesmo tempo servirá de mecanismo de alerta e de controle activo para questões ambientais, nomeadamente e principalmente para focos de poluição.
Neste espaço podem ainda ser apresentadas notícias, propostas de intervenções, em suma, um espaço de reflexão e de projecto.

O objectivo principal visa devolver ao Rio Almansor a sua dignidade, chamar a atenção para a sua relação com a cidade, ser uma charneira com o meio rural. Assim, a acção projectada teve como base a experimentação do lugar, o percorrer para entender : a experiência de cada um como a base para o desenvolvimento da consciência dos valores, das interacções e do contexto deste território.

Sinopse

Do ponto de vista antropológico, o Rio Almansor enquanto elemento da cultura material local constitui-se como um importante instrumento metodológico para a percepção de fenómenos e organizações sociais. Neste sentido, pretende-se efectuar uma abordagem que incida e privilegie o grau de afectação/modelagem do espaço pela acção social, ou seja apreender quais as configurações sociais materializadas em memórias localizadas. O Rio é aqui tomado como objecto de análise transversal relativamente à abordagem etnográfica do lugar; como suporte material da morfologia social e os seus diferentes níveis de significações assentes numa relação de interdependência com a linguagem espacial. Não obstante, o Rio é entendido como uma espécie de “área cultural”, definido como uma unidade espacial de análise com potencial para sistematizar a distribuição de um vasto conjunto de traços etno-culturais. Entre os traços culturais susceptíveis de serem mapeados e analisados em função desta abordagem, a cultura material e as formas de organização social em seu redor assumem um importante papel na tradução da psicologia étnica local.

Surge assim a necessidade de conservar e afirmar na memória colectiva as particularidades culturais do universo popular face às mudanças e transformações sociais que reflectem a uniformidade cultural da sociedade moderna e a consequente despersonalização cultural e social do Rio Almansor. Trata-se portanto de uma reflexão acerca dos testemunhos de produções sociais e culturais marcados pelo tempo (mais ou menos distante) num espaço de identificação e confluências pessoais e colectivas.

Em suma, através de uma intervenção desta natureza, ajustada ao local, pretende-se (re)direccionar o pólo de atenções para o Rio, proceder à sua (re)apropriação através da aproximação das memórias do local com o local.

UmSitioNoRio

Anúncios