Olaria de Trás di Munti



Sinopse

A produção cerâmica tradicional em Trás di Munti[1], define-se como uma actividade doméstica sazonal, uma economia informal num contexto onde a mulher se define como eixo de produção material. Da olaria, resultam objectos dotados da capacidade de evocarem, através da matéria-prima, da morfologia, da decoração e da técnica, a produção material tradicional ou “antiga”,  uma indiscutível função de património histórico e cultural.

Um dos propósitos deste ensaio é constituir-se como um corpus de inventariação cerâmica. É com base neste quadro teórico que se pode partir para interpretações mais pormenorizadas dos materiais cerâmicos. Não obstante, é também objectivo deste trabalho proceder a uma avaliação, embora superficial em termos de amostragem, aos contextos e métodos actuais de produção cerâmica; inferir sobre a temática das tradições cerâmicas e constituir uma base de analogismo em torno da produção. Os dados que dão corpo ao ensaio foram perspectivados sob uma dimensão social, e sob o ponto de vista do sistema técnico da produção olárica uma vez que a técnica é uma acção “socializada” sobre a matéria.

Em suma, surge como a primeira aproximação ao território e ao estudo e salvaguarda deste património, criando assim as condições para um projecto mais vasto direccionado para o campo da investigação. É portanto no seguimento deste quadro contínuo que surge o presente trabalho. Trata-se do campo dos estudos do património cultural material, tal como são entendidos na perspectiva da antropologia e etnologia.

[1] Tarrafal de Santiago, Cabo Verde

OlariaTradicionalTrásdiMunti



Anúncios